Certificação CFA: tudo sobre como obter o título de Chartered Financial Analyst

Publicado dia 26 de março de 2018

Além de querermos ajudar você a ganhar cada vez mais conhecimento sobre os temas relativos à área de controladoria, também é nosso desejo contribuir para que você se especialize cada vez mais e possa colocar em prática seu plano de carreira.

Tanto é verdade que aqui no blog já abordamos sobre certificação CFP para profissionais que querem ser um Planejador Financeiro Certificado. A importância do Financial Planning and Analysis Certificate foi também assunto por aqui, bem como as certificações em Contabilidade Internacional: CertIFR e DipIFR.

Seguindo a linha, temos o FRM, certificação destinada aos profissionais da área de riscos financeiros. Como gostamos de frisar em nossos posts, quem trabalha com finanças pode seguir por vários caminhos, o que faz com que o profissional se perca um pouco naquela história de “por onde começar?”.

Bom, caso você esteja avaliando as certificações disponíveis no mercado, nosso convite de hoje é conhecer sobre a Certificação CFA (acrônimo para Chartered Financial Analyst que em português seria algo como Analista Financeiro Certificado). Caso você esteja na busca por ter o título CFA também o convidamos a vir com a gente e esclarecer suas dúvidas.

O que é a Certificação CFA?

Certificação CFA

A certificação CFA é concedida pelo instituto norte-americano CFA Institute, o qual é responsável também pelas avaliações que os candidatos devem prestar. Ela é designada aos profissionais que querem atestar sua proficiência em finanças.

A Certificação CFA é a queridinha de grandes corporações e o escopo de carreira do titular abrange empresas de investimento, hedge, bancos, companhias de seguros, consultoria financeira e muito mais.

Como você verá, passar no exame de CFA e conseguir ser detentor do título de Chartered Financial Analyst não é tarefa fácil. Para se ter uma ideia, estima-se que apenas 1 em cada 5 candidatos concluem com êxito todo o caminho para o prestigiado título de Chartered Financial Analyst. Contudo, aqueles que o fazem colherão benefícios. Um deles diz respeito ao alcance de áreas para trabalhar, pois o programa CFA cobre vários setores proeminentes, como bancos, indústrias, mercados financeiros e setor de tecnologia. Todas essas indústrias valorizam o setor financeiro em seus negócios e consideram a certificação CFA como uma credencial válida que demonstra as capacidades do profissional.

Exatamente por isso é que a designação CFA diferencia e distingue o titular aos olhos de profissionais e investidores. Isso porque o profissional CFA provou sua capacidade de suportar testes rigorosos, mostrou capacidade de aprendizagem e comprometeu-se seriamente a seguir sua vida profissional de acordo com altos padrões éticos.

No Brasil, a Certificação CFA não é exigida, embora existam áreas do mercado financeiro em que ser um Chartered Financial Analyst se faz muito mais necessário, como: gestão de carteiras e research (análise de ações), profissionais de IB (Investment Banking) M&A (Fusões e Aquisições), consultorias e corretoras.

O que é preciso para se tornar um Chartered Financial Analyst?

O CFA Institute é bem rigoroso com relação aos requisitos. Para ser detentor da certificação CFA o candidato precisa passar por três etapas:

  • Passar nos três níveis do exame CFA;
  • Comprovar 48 meses de “experiência profissional aceitável”;
  • Juntar-se ao Instituto CFA, que inclui completar uma declaração de conduta profissional.

Como você deve imaginar, para a maioria das pessoas a parte mais difícil é passar nos três níveis de exames, os quais são:

  • Os exames de nível I consistem em questões básicas de conhecimento e compreensão voltadas para ferramentas de investimento. Algumas questões exigirão análise.
  • Os exames de Nível II enfatizam análises mais complexas, juntamente com o foco na valorização de ativos.
  • Os exames de nível III requerem síntese de todos os conceitos e métodos analíticos em uma variedade de aplicações para gerenciamento efetivo de portfólio e planejamento de riqueza.

Como é a prova da Certificação CFA?

Cada um dos três níveis envolve seis horas de prova e devem ser passados em sequência. Os exames para cada nível são oferecidos anualmente, em junho, sendo que a prova para nível I acontece também em dezembro. As provas são realizadas em 170 cidades em junho e em 70 em dezembro. No Brasil, acontecem em São Paulo e no Rio de Janeiro. Os testes são realizados em inglês.

A seguir detalhamos os níveis.

Nível I: múltipla escolha

  • 240 questões (cada pergunta tem 3 opções de resposta);
  • Sessão matutina: 120 perguntas;
  • Sessão vespertina: 120 perguntas;
  • Em média, devem ser alocados 1,5 minutos para cada pergunta

Nível II: mini cases

  • 20 conjuntos de itens ou mini-cases;
  • Sessão matutina: 10 conjuntos de itens;
  • Sessão vespertina: 10 conjuntos de itens;
  • Cada conjunto de itens tem 6 perguntas de escolha múltipla
  • O exame é classificado para 360 pontos.

Nível III: questões discursivas e objetivas

  • Sessão matutina: 8-12 questões discursivas.;
  • Sessão vespertina: 10 conjuntos de itens com 6 perguntas de escolha múltipla em cada
  • O exame é classificado para 360 pontos.

Os tópicos abordados são:

  • Padrões Éticos e Profissionais
  • Métodos quantitativos
  • Economia
  • Relatórios e Análises Financeiras
  • Finanças corporativas
  • Investimentos igualitários
  • Renda Fixa
  • Derivados
  • Investimentos alternativos
  • Gerenciamento de Carteira e Planejamento de Riqueza

Os pesos em % para cada tópico abordado em cada nível estão indicados na tabela abaixo divulgada pelo CFA Institute (lembrando que a dificuldade aumenta de acordo com o nível):

certificacao-CFA-pesos-das-questoes

As notas de aprovação variam ano a ano e são avaliadas pelo instituto CFA de acordo com o desempenho dos candidatos.

Requisitos para o exame de Certificação CFA

Para se inscrever no exame de Nível I o candidato deve ter um dos seguintes:

  • Graduação: diploma de bacharel (ou equivalente) ou comprovação de estar cursando o último ano do programa de bacharelado (importante: para se registrar no exame de Nível II será necessário ter completado o bacharel), ou
  • Experiência de trabalho: quatro anos de experiência de trabalho profissional (não precisa ser relacionado ao investimento), ou
  • Uma combinação de experiência de trabalho profissional e educação que totaliza pelo menos quatro anos (posições de meio período não são qualificadas e o total de quatro anos deve ser acumulado antes da inscrição).

Quanto custa?

Todo candidato de nível I deverá pagar uma taxa única de inscrição no programa no valor de US$ 450 mais uma taxa de inscrição no exame. Essa taxa varia de acordo com o momento da inscrição. Conforme o CFA Institute, para a prova de Dezembro de 2018 os valores são:

  • US$ 650 para inscrição antecipada (encerrada em 14 de março de 2018)
  • US$ 950 para inscrições até 15 de agosto de 2018
  • US$ 1,380 para inscrições até 12 de setembro de 2018

Para os níveis II e III os candidatos não precisam mais pagar a inscrição no programa, mas devem pagar os valores acima (para inscrição no exame). A inscrição é feita no site do CFA Institute.

Como se preparar para a Certificação CFA?

O Instituto CFA recomenda 300 horas de estudo para cada nível. No Brasil, a CFA Society Brazil realiza curso regular para todos os níveis e intensivo para nível I. Recomendamos que você acesse o site para mais informações. A FK Partners é outra instituição que também oferece preparatório para a Certificação CFA. Caso queira saber mais, acesse esta página.

Além disso, para os inscritos no Programa CFA, o CFA Institute disponibiliza os chamados mock tests (simulados). Uma lista de bibliografia para estudo também é disponibilizada por eles e pode ser encontrada aqui.

De qualquer maneira, seja qual for o método de estudo escolhido por você, o importante é seguir os tópicos descritos pelo Instituto CFA.

Chartered Financial Analyst

Certificação CFA ou FRM?

Até aqui vimos os detalhes da Certificação CFA e em outra oportunidade abordamos o exame FRM. As duas provas são difíceis e os títulos são reconhecidos internacionalmente. Como muitos profissionais têm dúvidas sobre qual escolher, resolvemos dar uma mãozinha.

Para início de conversa, ambas as certificações atestam que o profissional possui conhecimentos financeiros e são capazes de analisar investimentos. Embora CFA e FRM tenham uma base financeira, a natureza dos certificados é muito diferente, o que significa que cada um deles permite que seus titulares desempenhem e se especializem em diferentes atividades.

Para contextualizar, destacamos que:

  • Como vimos, titulares de uma certificação CFA apresentam um alto nível de experiência em gerenciamento de investimentos. Cargos de CFA incluem gerente de portfólio, analista de pesquisa e banqueiro de investimentos. Os profissionais detentores do título de Chartered Financial Analyst tendem a trabalhar em finanças corporativas.
  • Já os titulares de uma certificação FRM (acrônimo para Financial Risk Manager) atestam que estão qualificados a avaliar os riscos de uma organização e desenvolver estratégias para minimizá-los. Os profissionais detentores do certificado de FRM trabalham em bancos, corporações, empresas de gestão de ativos e governo.

Em termos de carreira, CFAs geralmente têm mais oportunidades porque seus estudos e habilidades são abrangentes, especialmente em cargos gerenciais. Isso porque esses profissionais se mostram qualificados em gerenciar e maximizar os investimentos de uma empresa.

Por outro lado, os FRMs são muito mais especializados. Eles se especializam em analisar o risco e descobrir maneiras de minimizá-lo dentro de uma empresa. Os FRMs normalmente possuem cargos de nível gerencial e executivo, e se concentram no risco de investimento.

Todavia, destacamos que isso não significa que você deva escolher um ou outro. Tudo dependerá do que você planeja para sua carreira. O cenário mais comum é o profissional possuir a credencial CFA para depois se especializar em gerenciamento de riscos.

Lembre-se que a designação FRM é muito mais especializada do que o CFA. De qualquer maneira, ambas são difíceis e exigem muita dedicação por parte de candidato. A dica que damos quando o profissional fica em dúvida entre tantas especializações e certificações é tirar um tempo e fazer sua Gestão de Carreira.

O primeiro passo é ter um objetivo, então, defina onde você quer estar em longo prazo e trace uma rota. Para ajudar no planejamento, desenvolvemos um e-book sobre Plano de Carreira. Caso te interesse, é só fazer o download clicando na imagem a seguir:

Plano de Carreira do Profissional de Controladoria

Concluindo

Não há dúvidas de que uma qualificação adicional que atesta seu conhecimento sobre uma determinada área de finanças pode fazer maravilhas para sua carreira. Além de ampliar os horizontes, abre novas possibilidades, pois mostra que você possui autoridade no assunto.

No Brasil, não existem exigências com relação ao CFA, embora, como vimos, isso seja um diferencial para determinadas posições. Caso você esteja se planejando para o exame ou esteja pensando em se tornar um Chartered Financial Analyst, esperamos que este artigo tenha sido útil a você. Deixe um comentário contando o que achou e compartilhe conosco qualquer outro conhecimento que possa contribuir com o tema. Fique à vontade também para compartilhar este post com seus colegas.

Toda semana publicamos aqui artigos relacionados a planejamento, orçamento e acompanhamento econômico-financeiro. Também publicamos mensalmente materiais gratuitos para download como modelos de planilhas, white papers e e-books.

Portanto, se você ainda não é assinante de nosso newsletter, cadastre-se para receber este e outros artigos por e-mail, ou nos adicione nas redes sociais para ficar por dentro de tudo que acontece por aqui.


Também publicado em Medium.