Necessidade de Capital de Giro (NCG): dando fôlego para seu negócio!

Por |28/12/2014|
 necessidade de capital de giro ncgQuando uma nova empresa inicia suas atividades, geralmente recebe dois tipos de investimentos. Uma parte deste montante é considerado seu Ativo Fixo e será utilizado para a aquisição das máquinas, equipamentos, móveis, prédios e todos os demais bens que a empresa precisa para iniciar e manter sua operação.

Já a outra parte deste investimento inicial vai compor uma reserva de recursos para ser utilizada conforme as necessidades financeiras da empresa ao longo do tempo. Este valor é chamado Capital de Giro.

Como calcular a Necessidade de Capital de Giro (NCG)

A Necessidade de Capital de Giro (NCG) é o valor mínimo que a empresa precisa ter de dinheiro em seu caixa para garantir que sua operação (compra, produção e venda de produtos ou serviços) não pare por falta de recursos para pagar fornecedores e funcionários.

Para calcular a NGC, o primeiro passo é conhecer bem os Prazos Médios de Pagamento e Recebimento da empresa:

  • Prazos Médios de Pagamento: é o tempo entre a data da compra e o pagamento efetivo ao fornecedor. Por exemplo, se sua empresa compra matérias-primas e paga seu fornecedor em duas vezes (1+1), seu prazo médio de pagamento vai ser de 50% a vista e 50% em 30 dias;
  • Prazos Médios de Recebimento: é o tempo entre a venda e o efetivo recebimento do dinheiro. Por exemplo, se sua empresa vende parcelado em 3x sem entrada, seu prazo médio de recebimento vai ser de 33% em 30 dias, 33% em 60 dias e 34% em 90 dias.

NCG = Prazos Médios de Recebimento – Prazos Médios de Pagamento

Ou seja, se os Prazos Médios de Pagamento que a empresa tem com seus fornecedores for maior que os Prazos Médios de Recebimento que dá a seus clientes, provavelmente não terá grandes necessidades de Capital de Giro. É o que chamamos de “empresa financiada pelos clientes”.

Já se a situação for oposta, com os Prazos Médios de Recebimento maiores que os Prazos Médios de Pagamento, então a empresa estará pagando seus fornecedores antes de receber de seus clientes, e precisará então de um maior volume de Capital de Giro, seja ele próprio (aportado pelos sócios e investidores) ou de terceiros (bancos ou outras fontes de financiamento).

Outra forma de calcular a Necessidade de Capital de Giro é analisar os grupos de Ativo e Passivo Circulante no Balanço Patrimonial:

  • Ativo Circulante: representa os recursos disponíveis a curto prazo (caixa, bancos, aplicações financeiras, contas a receber, estoques etc.);
  • Passivo Circulante: representa os financiamentos a curto prazo da empresa (fornecedores, contas a pagar, empréstimos etc.).

Depois disto, basta realizar a conta:

NCG = Ativo Circulante – Passivo Circulante

A primeira formula que vimos, traz a Necessidade de Capital de Gira da empresa em dias. Já a formula acima traz a NCG em Reais (ou unidade monetária utilizada pela sua empresa).

Ambos os cálculos são importantes. O primeiro ajuda a entender qual o tempo médio de dias que a empresa fica com o dinheiro de seus clientes antes de pagar os fornecedores (ou o contrário, quanto tempo fica devendo para os fornecedores antes de receber de seus clientes). Já a segunda fórmula mostra quanto isto representa em termos monetários, ou seja, quanto terá de caixa disponível para aplicações e investimentos (ou o contrário, quanto terá de falta de caixa e precisará tomar empréstimos, consequentemente pagando juros).

Importância da Gestão de Capital de Giro

E não basta apenas calcular a NCG, é preciso analisa-la, levando em consideração não só os resultados, mas também a estratégia geral da empresa:

  • NCG positivo: a empresa esta com superávit de capital de giro, não necessitando recorrer a bancos ou outras fontes de recursos;
  • CGL negativo: a empresa tem um déficit em seu capital de giro, significando que parte de seu capital de giro vem de recursos de terceiros, o que pode levar a despesas com pagamento de juros por este capital e em alguns casos, demonstrar um quadro de risco associado ao negócio.

Mesmo que a empresa tenha uma operação rentável, lucrativa e trabalhe com boas margens de lucro, a administração eficiente do Capital de Giro é fundamental para manter o Fluxo de Caixa da empresa “saudável”.

Portanto, administrar o capital de giro da empresa significa avaliar o momento atual da empresa, se falta ou sobra recursos financeiros e os reflexos gerados por decisões tomadas em relação a compras, vendas. Isto é fundamental para a continuidade e saúde do negócio, principalmente em ramos que trabalham com margens mais baixas e não podem “financiar seus clientes”.

E como você já sabe, toda semana publicamos aqui artigos relacionados a planejamento, orçamento e acompanhamento econômico-financeiro. Também publicamos mensalmente materiais gratuitos para download como modelos de planilhas, white papers e e-books.

Materiais de Gestão Gratuitos

Portanto, se você ainda não é assinante de nosso newsletter, cadastre-se (aqui, logo abaixo) para receber este e outros artigos por e-mail, ou nos adicione nas redes sociais para ficar por dentro de tudo que acontece por aqui.

E se o conteúdo do artigo foi útil para você e sua empresa, deixe um comentário e compartilhe com seus colegas utilizando os botões das redes sociais que ficam aqui logo abaixo.

Artigos Relacionados


Also published on Medium.

Cadastre-se no Treasy

Deixe seu comentário