Controller Cast #02 – Como implantar a Gestão Matricial de Despesas (GMD) em um grande grupo de empresas, com Daniela Sousa

Publicado dia 8 de junho de 2017

Controller Cast sobre Controle Matricial de Despesas Este é o podcast para tornar o time de Controladoria ainda mais estratégico!

O Controller Cast é um podcast pensado especialmente para profissionais das áreas de Planejamento, Controladoria e Finanças. Nele discutimos temas relacionados com a área, trazendo insights, conteúdos práticos e entrevistas com profissionais que estão fazendo a diferença em suas empresas.

Nesse Controller Cast episódio #02, chamamos a Daniela Sousa, controller em uma Holding, para bater um papo sobre Gestão Matricial de Despesas, ou simplesmente GMD. Ela conta sobre sua experiência na implantação dessa metodologia em um grande grupo de empresasEscute agora mesmo pelo  player abaixo ou acesse nosso canal no Soundcloud, se preferir.

Na primeira edição, conversamos com Marcio Andrade, Controller da ContaAzul, para entender “Os desafios da Controladoria em uma empresa de crescimento acelerado. Caso você perdeu, é só ir lá conferir.

Sobre a Daniela Sousa

Daniela Sousa e gestão matricial de despesas

Daniela Sousa é formada em Administração de Empresas com pós graduação em  Controladoria de Gestão. Possui onze anos de experiências em controladoria e finanças em uma Holding que controla um grupo de 63 empresas. Daniela é responsável pela consolidação do resultado das empresas a nível Brasil e América Latina, pela elaboração do budget e forecast, report de informações aos diretores e acionistas, além de participar de projetos de implantação do Business Plan Consolidation (BPC) e Funds Management (FM).

Um bate papo sobre como implantar a Gestão Matricial de Despesas (GMD)

Neste episódio conversamos com a Daniela Sousa sobre:

  • O que é a metodologia GMD e por que implantá-la no processo orçamentário?
    • Diferenças entre o método tradicional e a gestão matricial de despesas;
    • GMD como método de controle de orçamento para melhorar o resultado da empresa através de um controle cruzado;
    • Divisão do orçamento em entidades e pacotes;
    • Base orçamentária e realização de despesas baseada em indicadores e não em parâmetros subjetivos.
  • Qual a relação entre a maturidade do orçamento na empresa e o timing para implantar o GMD?
    • Importância da cultura orçamentária e descentralização do orçamento;
    • Diretrizes e premissas orçamentárias para orientar os trabalhos e garantir que todos estejam alinhados;
    • Não é necessário atingir um nível extremamente elevado de maturidade para fazer a implantação do GMD.
  • O que é necessário para fazer a implantação do Gerenciamento Matricial de Despesas
    • Levantamento de despesas e custos indiretos que serão ou não controlados;
    • Desenvolvimento do BI-Business Intelligence;
    • Criação da matriz de gerenciamento com as entidades,  pacotes e o nome dos gestores de pacotes;
    • Criação do modelo oficial de plano de ação, de relatórios de causa e o template de apresentação;
    • Criação do cronograma;
    • Nomeação dos gestores de pacotes, definição dos papéis e responsabilidades de cada um dos agentes;
    • Criação de informativos sobre Controle Matricial de Despesas, eventos de apresentação e treinamentos;
    • Contratação de uma consultoria especializada.
  • Como é a rotina de acompanhamento do GMD?
    • Publicação do resultado mensal;
    • Avaliação dos gestores;
    • Criação de planos de ações.
  • Qual é o reflexo do GMD para Controladoria?
    • Comparação entre o método tradicional e a gestão matricial de despesas;
    • Forma menos operacional e mais estratégica.
  • Qual o impacto nos Gestores de pacotes e das entidades?
    • Diferenças entre gestores mais engajados com os menos engajados e o reflexo na performance do pacote.
  • Quem são elegíveis a serem gestores de pacote?
    • Afinidades entre gestor e pacote;
    • Conhecimentos necessários que o gestor precisa ter.
  • Quais os principais ganhos em implantar o Controle Matricial de Despesas e as oportunidades de economia que obtiveram?
    • Maior engajamento entre os gestores;
    • Várias ideias boas vindas pelos gestores que trouxeram economias a nível global;
    • Rompimento do paradigma “isso sempre foi feito assim”.
  • Quais os principais desafios de implantar a metodologia GMD?
    • Adequação do modelo tradicional com a nova metodologia;
    • Engajamento dos gestores.
  • Quais foram os principais aprendizados?
    • Necessidade de um Plano de Comunicação;
    • Controle de orçamento de baixo para cima e autonomia dos gestores;
    • Criação de procedimentos;
    • Implantação de novas políticas e atualização das já existentes.
  • Quais ferramentas utilizam hoje?
    • BI, ERP e os arquivos em Microsoft Office;
    • Matriz de gerenciamento, relatório de causas, plano de ação 5W2H, template de reclassificações e o modelo de apresentação das reuniões mensais de acompanhamento.
  • O que você sugere como primeiros passos para quem quer implantar o Controle Matricial de Despesas em sua empresa?
    • Definição do que quer controlar;
    • Definição dos gestores de pacotes;
    • Divulgação dos resultados;
    • Definição de processos e ferramentas;
    • Controle de status das ações.

Caso queira complementar seu conhecimento sobre o assunto, baixe o e-book sobre Maturidade da Gestão Orçamentária e descubra em qual estágio sua empresa está e o que é preciso fazer para chegar no Best-in-class.

E-books-Estágios-de-Maturidade-na-Gestão-Orçamentária-Banner

Esperamos que você goste da nossa entrevista com a Daniela Sousa sobre como implantar a gestão matricial de despesas em uma grande grupos de empresas, e consiga aplicar os aprendizados na sua empresa.  Assine nossa newsletter para ficar sabendo dos próximos Controller Cast!

Talvez você também queira ler um destes:


Também publicado em Medium.

Deixe um comentário

Você precisa estar logado para postar um comentário. Clique aqui para fazer o login