5 formas de resolver a falta de capital de giro na empresa

Publicado dia 14 de maio de 2018

Todo mundo que abre uma empresa já ouviu falar em capital de giro, certo? Errado! Apesar de ser uma expressão comum entre os empreendedores, principalmente por sua importância para a saúde financeira das empresas, muitos deles não compreendem bem o que esse termo significa e por que é fundamental para que um negócio possa se manter de pé.

Capital de giro

O problema de não dar atenção ao capital de giro é que é ele que dá suporte para a operação da empresa e, assim, a sua falta pode acabar fechando as portas de muitos negócios de portes e segmentos variados. Resumindo: o capital de giro é o dinheiro necessário para manter o negócio funcionando normalmente.

Ele é representado pela diferença entre o ativo circulante da empresa, que são os recursos disponíveis em caixa, em aplicações financeiras e bancos e a receber dos clientes em curto prazo, e o passivo circulante, que é a soma das despesas e contas a pagar.

Dessa forma, quando os ativos são maiores que os passivos, significa que há capital de giro suficiente e que a empresa consegue financiar a sua própria operação. Já quando os passivos são maiores que os ativos, é um sinal de alerta que mostra que a empresa precisa de uma fonte para o seu capital de giro.

O problema é que, muitas vezes, o empreendedor só percebe que precisa de recursos para financiar o seu capital de giro quando é tarde demais. E isso pode fazer com que ele acabe acumulando dívidas, não cumprindo compromissos com os clientes e, até mesmo, decretando a falência da empresa. Para evitar que isso aconteça no seu dia a dia, neste artigo vamos falar sobre 5 formas de resolver a falta de capital de giro para manter a saúde financeira do seu negócio!

As causas da falta de capital de giro

Antes de tratarmos das formas de resolver a falta de capital de giro, é importante entendermos por que isso acontece com várias empresas pelo país, independentemente do seu porte e ou segmento. Não é incomum que um empreendedor abra um negócio, consiga boas vendas e conquiste clientes, mas que, de repente, o seu dinheiro acabe. Há várias causas para que isso aconteça, mas todas elas podem ser resumidas em falta de planejamento.

Imagine, por exemplo, uma empresa de cervejas artesanais que tem como clientes grandes supermercados. O empreendedor, por ser pequeno, não tem um grande poder de negociação com seus clientes e acaba recebendo o valor das suas mercadorias apenas 60 dias após as vendas.

Por outro lado, os seus fornecedores exigem um pedido mínimo muito maior do aquele que a empresa precisa por mês e pede que o pagamento seja feito na entrega. Com isso, a cervejaria tem que desembolsar uma grande quantia de dinheiro antes de vender e ainda acaba ficando com um volume enorme de insumos em seu estoque.

Como a empresa não tem outra fonte de recursos, começa sentir falta do dinheiro e ter dificuldades em pagar seus funcionários e os outros gastos, como os serviços de higiene e limpeza, marketing e até mesmo energia elétrica e água. É aí que os empreendedores percebem que o que está faltando é o capital de giro, ou seja, os recursos necessários para manter a empresa operando normalmente.

Neste caso, o dinheiro falta porque o ciclo financeiro, como é chamada a velocidade de “giro” de dinheiro na empresa, é muito longo, já que a empresa paga aos seus fornecedores rapidamente, mas demora a receber de seus clientes. Quanto mais longo este ciclo, maior é a necessidade de capital de giro.

Como evitar a falta de capital de giro

Falta de capital de giroSe o capital de giro não é um problema na sua empresa, isso é um bom sinal, mas saiba que você também deve tomar cuidados para evitar que isso se torne um problema no futuro. Afinal, é melhor prevenir do que remediar, não é verdade?

Uma das formas é negociar melhor com fornecedores e clientes. No caso dos fornecedores, busque tornar as formas de pagamento mais confortáveis, aumentando o prazo ou, caso o pagamento à vista seja mais barato, verificando se esse desconto é maior que o custo do seu capital de giro. Caso não seja, não vale a pena.

Já com os clientes, é importante tentar reduzir o prazo de financiamento, o que pode ser difícil, já que a concorrência pode oferecer alternativas melhores e facilitar o pagamento a prazo. De qualquer forma, é válido tentar.

Além disso, também é importante melhorar a gestão do estoque e tentar escapar de pedidos mínimos ou promoções que ofereçam uma grande quantidade de produtos. Isso é necessário porque, apesar de parecerem ações vantajosas, muitas vezes seus benefícios acabam quando a empresa precisa pagar os juros pelas contas nos bancos que financiaram a compra desse estoque.

Como você pode ver, uma das formas de evitar a falta de capital de giro é controlar os recursos que saem do caixa, certo? Por isso é fundamental controlar todas as entradas e saídas, o famoso fluxo de caixa. Para auxiliar você nesse desafio, disponibilizamos gratuitamente uma planilha de fluxo de caixa! Basta clicar na imagem a seguir:

Planilha Modelo de Demonstrativo de Fluxo de Caixa

Como conseguir capital de giro para a empresa

Se a falta de capital de giro já é uma realidade na sua empresa, saiba que, apesar de ser uma situação difícil, há alternativas que podem ajudar você a sair dessa e controlar melhor os recursos financeiros do negócio. Confira quais são elas a seguir!

#01: Antecipação de recebíveis

Se a sua empresa tem contas a receber de clientes nos próximos meses, uma opção para conseguir crédito para capital de giro é fazer a antecipação de recebíveis. Neste caso, a empresa procura uma instituição financeira ou outra organização que ofereça o serviço e recebe dela o valor referente aos recursos que receberia apenas no futuro. Assim, quando o seu cliente quitar o título, o dinheiro será destinado à instituição que antecipou o valor para a sua empresa.

A medida pode ser uma boa alternativa, mas é importante ficar atento às taxas de juros aplicadas neste processo, pois podem tornar essa opção mais cara que outras. Além disso, é importante cuidar para que essa medida não se torne uma forma de “tapar buracos” constantemente.

#02: Empréstimo para empresa

Caso a sua empresa não tenha nenhum crédito a receber, outra forma de resolver o capital de giro negativo é optar pelos empréstimos. Esta opção costuma ser uma das mais utilizadas, mas é preciso muito planejamento para que o empréstimo para o capital de giro não acabe aumentando ainda mais as dívidas da empresa sem resolver o problema.

Procure pesquisar entre as instituições que oferecem o serviço para encontrar aquela que disponha das menores taxas de juros e melhores condições de pagamento. Também é importante que você saiba exatamente qual é a quantia que necessita e que planeje em quanto tempo irá quitar o empréstimo. Assim como no caso da antecipação de recebíveis, o empréstimo é uma boa opção, contudo, não deve se tornar rotina para não atrair ainda mais despesas.

#03: Financiamento empresarial

Além do empréstimo, o empreendedor também pode optar por instituições financeiras que ofereçam o serviço de financiamento de capital de giro. Neste caso, a instituição empresta o dinheiro para que a empresa o aplique especificamente para resolver a falta de capital de giro.

Para saber como conseguir o financiamento é importante consultar o maior número de instituições que ofereçam o serviço, pois, assim como no empréstimo, as linhas de crédito e taxas de juros são diferentes e é preciso encontrar as mais vantajosas para o seu negócio.

#04: Sale & Leaseback

Caso a sua empresa tenha imóvel próprio, outra opção a se considerar é o Sale & Leaseback, um acordo comercial realizado entre um investidor e a empresa que necessita de dinheiro. Ao optar por essa alternativa, a empresa vende o seu imóvel para o investidor ao mesmo tempo em que o aluga em contrato com o proprietário, sem necessidade de encontrar outro lugar para manter as operações.

Neste caso, a vantagem é conseguir uma grande quantidade de dinheiro de forma rápida, pagando taxas menores do que as que seriam cobradas por um banco, mesmo que o aluguel passe a ser uma despesa. Quando o contrato é encerrado, o imóvel volta a ser da empresa que o vendeu.

#05: Conta garantida

A conta garantida é uma modalidade de crédito rotativo oferecida por diversas instituições financeiras que se assemelha ao cheque especial, mas com taxas mais atrativas. Nessa opção, as empresas que necessitam de recursos oferecem alguma garantia ao banco, como hipoteca, investimentos e cheques, por exemplo, para subsidiar a liberação do dinheiro.

O valor fica depositado, geralmente, em uma conta diferente daquela que a empresa usa regularmente e é preciso solicitar uma transferência entre as contas caso a empresa deseje sacar ou emitir um cheque. Apesar de atrativa, a opção pode ter algumas desvantagens, como a alta incidência de impostos.

Conclusão

Como você viu, há algumas formas de evitar e resolver a falta de capital de giro da sua empresa. No entanto, prevenir é sempre melhor que remediar, como bem falamos, e, por isso, é importante que os empreendedores conheçam o que é o capital de giro, a sua importância para a empresa e que saibam calculá-lo a fim de evitar problemas financeiros.

Esperamos que este artigo tenha sido útil a você. Deixe um comentário contando o que achou e compartilhe conosco qualquer outro conhecimento que possa contribuir com o tema. Fique à vontade também para compartilhar este post com seus colegas.

Toda semana publicamos aqui artigos relacionados a planejamento, orçamento e acompanhamento econômico-financeiro. Também publicamos mensalmente materiais gratuitos para download como modelos de planilhas, white papers e e-books. Portanto, se você ainda não é assinante de nosso newsletter, cadastre-se para receber este e outros artigos por e-mail, ou nos adicione nas redes sociais para ficar por dentro de tudo que acontece por aqui.

Talvez você também queira ler um destes:


Também publicado em Medium.

Deixe um comentário

Você precisa estar logado para postar um comentário. Clique aqui para fazer o login