Como o Hedge protege seus ativos das oscilações de mercado? Entenda o que é Hedge e avalie sua aplicação no seu negócio

Publicado dia 15 de janeiro de 2017

Você sabe que existem diversos riscos em qualquer operação comercial, por menor que ela seja. No mundo financeiro existem algumas ferramentas para ajudar empresários, investidores, gestores e administradores a estarem protegidos contra riscos corporativos que abalem as finanças. Uma delas, é o Hedge.

Mas, o que é Hedge? O Hedge é como um seguro que protege o investidor caso seu investimento não traga o retorno esperado. Como todo seguro, Hedging não vai trazer dinheiro para sua empresa, no entanto, será um escudo de proteção para que a perda não seja tão grande.

Quando falamos em riscos financeiros não podemos demorar muito para tomar as medidas necessárias, certo? Então, indo direto ao ponto, acompanhe esse artigo, entenda o significado de Hedge, como funciona e conheça uma das ferramentas para diminuir riscos que podem afetar o caixa da sua empresa.

Por que entender como funciona o Hedge?

Importância de HedgeDigamos que Hedging é como comprar um seguro de automóvel. Você decide fazer um para servir como uma proteção e evitar um grande prejuízo em caso de roubo ou acidente, por exemplo.

Isso porque seu automóvel é um bem para você, e com certeza você não quer ver seu dinheiro indo para o ralo caso algo aconteça. Você compra o seguro para se precaver. Ele não irá impedir que aconteça algum acidente, mas dará o suporte financeiro caso ocorra.

Além disso, ninguém compra um seguro esperando o momento de utilizá-lo. Assim funciona o Hedge. Ele serve de proteção contra eventos imprevistos, mas investidores desejam – com todas as suas forças – nunca fazerem uso dessa estratégia.

A importância de se entender sobre Hedging é ainda maior quando um investidor tem passado por épocas de vacas gordas, ou seja, um longo período de ganhos, mas sente que a proporção não se manterá no futuro.

Portanto, entender sobre Hedge e como ele funciona é saber como proteger um bem ou ativo de maneira parcial ou integral. Essa proteção seria contra variações de preços, taxas ou moedas. Por esse motivo, Hedging é considerada uma operação cujo objetivo não é o lucro e sim escapar de riscos.

Como quaisquer investimentos, Hedging para empresas exige um planejamento antes de ser executado. Contudo, a proteção dada por uma estratégia de Hedge faz com que todo o esforço valha a pena. Afinal, “no pain, no gain”.

O que é Hedge, afinal?

O que é Hedge

A palavra Hedge vem do inglês e significa cerca. Se você pensar um pouco nessa tradução, vai entender direitinho como o conceito se aplica na gestão financeira. Uma cerca é usada como proteção. Exatamente essa é a função da operação de Hedge.

Hedging, portanto, significa adotar uma estratégia cujo objetivo é o de proteger um investimento ou ativo contra possíveis perdas. Além disso, sua função é a de assegurar o valor de uma dívida que será paga no futuro. Por ativos entende-se uma commodity, o dólar, uma ação ou o título do governo.

Ficou claro o que é Hedge para você?

A partir do momento que um investidor faz um Hedge ele está assumindo que há riscos e que o retorno não será tudo aquilo que se espera.

E não há problema algum nisso, pois é muito melhor prevenir do que remediar, não concorda?

No nosso bom e velho português, analistas de mercado utilizam as expressões “hedgear” ou “fazer um hedge”. Para entender melhor, vamos ver alguns exemplos de Hedge?

Exemplo de Hedge 01

Exemplo de Hedging

Você e sua família fazem uma viagem ao exterior e a maioria de suas despesas são debitadas no cartão de crédito. Todos esses gastos serão calculados em dólar pela administradora e o valor da fatura dependerá da cotação da moeda no dia de fechamento

O mercado tem oscilado muito e para proteger suas finanças pessoais de quaisquer surpresas (como uma crise cambial) você procura ajuda de um investidor. Então, ele sugere que você faça um cálculo de quanto você gastará em média na sua viagem e oferece duas opções.

A primeira é você comprar o mesmo valor em dólar e a segunda é aplicar o valor correspondente às despesas em um fundo cambial que esteja atrelado ao dólar. Nesse caso, ao voltar de viagem você venderá os dólares comprados e pagará sua fatura.

Ao adotar esta última estratégia, se suas previsões se confirmarem, ou seja, caso o Real sofra desvalorização, suas finanças ficam protegidas de um risco cambial. No entanto, em caso de desvalorização do Dólar, você terá assumido o risco e terá pago mais caro pela moeda.

Exemplo de Hedge 02

Você é proprietário de uma pequena fábrica de pães orgânicos. Seu principal cliente é um mercado, que corresponde a mais de 50% do seu lucro. Em um belo dia, o mercado resolve fazer uma encomenda para daqui a quatro meses, que dará bem na época do Natal.

Para atender ao pedido você terá que comprar uma grande quantidade dos ingredientes. Seu espaço é pequeno e você não tem lugar adequado para armazenar tudo e acha que a despesa de se alugar um espaço para esse fim não valerá a pena.

Depois de muito pensar, você decide comprar todos os ingredientes um mês anterior à entrega. Que riscos estão envolvidos nisso? O maior deles é o preço dos ingredientes subir muito mais que o previsto. Caso isso aconteça, você não conseguirá produzir os pães e vendê-los no preço acordado sem ter prejuízos.

Como resolver a situação? A solução será comprar um contrato futuro, com a empresa fornecedora dos ingredientes com a entrega física no mês definido por você, a um preço que possibilite sua fábrica de não ter prejuízo com essa grande encomenda.

Observe que seu objetivo com isso não é o de obter lucro, mas sim o de evitar prejuízo. Caso o preço dos ingredientes baixem, você não pagará mais barato por eles, pois assumiu o risco. Por outro lado, caso haja a alta nos preços você estará precavido. Consegue entender como funciona o Hedge?

O vídeo a seguir, em inglês, ilustra um pouco mais o tema. Aproveite para assistir (2 minutos, é jogo rápido) e veja mais alguns exemplos de Hedge. Caso esteja com problema na visualização, só clicar aqui.

Quando e como pensar em Hedge?

Quando utilizar Hedge

Especialistas adotam uma estratégia de Hedge quando estão preocupados com suas aplicações financeiras.

Suponhamos que sua organização tenha comprado ações de uma empresa X. Caso você esteja preocupado com a queda dessas ações, uma operação de Hedge irá garantir que, em caso de queda dessas ações, sua aplicação não será tão prejudicada. Por outro lado, se o contrário ocorrer, ou seja, as ações subirem, os lucros serão menores.

Digamos que Hedging é o mesmo que ocorre quando colocamos filtro em nossas fotos: as imperfeições somem e junto com elas se vai a beleza da foto original.

Existem várias maneiras de Hedging e é importante destacar que isso não é coisa de peixe grande ou de altos investimentos. Empresas de pequeno porte e investimentos variados podem adotar o Hedge.

Como? Diversificando as aplicações financeiras. Isso dará uma segurança maior, pois você está protegido contra os altos e baixos do mercado.

Uma outra maneira de Hedging é comprando opções, o que poderá garantir que suas ações sejam vendidas no preço que você deseja ou permitirá que você compre ações por um preço ideal.

Hedging – Vantagens e Desvantagens

A essa altura você deve ter entendido que a principal vantagem de Hedge é sua significativa redução do risco de um investimento. Se um investidor fizer um investimento cujas variáveis estão fora de seu controle – como é o caso de praticamente todo investimento – ele perderá dinheiro se o resultado final não for conforme o planejado.

Um Hedge pode ajudá-lo a compensar possíveis perdas e reduzir riscos indesejados.

A principal desvantagem ao adotar uma estratégia de Hedge é que, toda vez que um risco é reduzido, também há a redução de uma potencial recompensa para o investidor. Além disso, uma operação de Hedge custa dinheiro.

Lembra do exemplo da fábrica de pães integrais? Naquela situação você assumiu que era melhor fazer um Hedge do que alugar um espaço para armazenar a matéria-prima para produção dos seus pães.

Imagine que ao final de tudo você analisa que se tivesse feito isso teria lucrado muito mais. Nesse caso, o Hedge acabou sendo uma despesa e um esforço de tempo e energia desnecessários.

Outra limitação de Hedging é que nem todos os riscos podem ser “hedgeados”, além de que nem todos os riscos podem ser cobertos por completo.

Hedging Vantagens e Desvantagens

Riscos que podem ser protegidos com Hedging

Diversos riscos financeiros podem receber a proteção de uma estratégia de Hedge. São eles:

  • Risco de Commodities
  • Risco de Créditos
  • Risco de Câmbio
  • Risco de Taxa de Juros
  • Risco Patrimonial
  • Risco de Volatilidade (uma observação aqui: é muito difícil traçar metas, caminhos e alternativas quando a empresa está inserida em um mercado volátil)
  • Risco de Volume

Como planejar o Hedge?

planejamento de Hedge

Como você deve imaginar, optar pelo Hedge não é uma decisão tomada num piscar de olhos. É necessário um estudo minucioso e muito (mas muito) planejamento.

As etapas para o planejamento de Hedge vão desde a avaliação das condições de mercado, passam pela descrição dos instrumentos de controle de risco e vão até a maneira de como o risco é encarado pela empresa.

O planejamento de Hedge deve ser realizado antes de iniciarem as negociações. Adicionalmente, devem ser analisados os pontos positivos e negativos do Hedge, bem como as perspectivas de preços e do risco de cada uma das prováveis trajetórias de mercado.

Para que o administrador possa realizar um contrato de Hedge com segurança – sem informações distorcidas – é recomendado que a etapa de planejamento aborde:

  • Análise dos elementos de risco;
  • Análise e avaliação de como os preços de mercado para cada variável de elemento de risco se comportarão;
  • Mensuração de como será o impacto da trajetória de preço sobre os resultados;
  • Identificação do motivo que apresentará a necessidade de Hedge;
  • Descrição dos instrumentos e das quantidades de derivativos que deverão ser empregados;
  • Elaboração de estratégia de atuação e de ação evasiva, caso não sejam confirmadas as expectativas.

É importante ressaltar que o planejamento deve ser objetivo. Sobre ele ser realizado com antecedência, é porque isso evita possíveis discussões futuras e deixa todos os envolvidos a par de detalhes operacionais e estratégicos das decisões a serem tomadas pelo caminho.

Hedge e o orçamento empresarial

Hedge e o orçamento empresarial

Tendo em mãos uma estrutura de Hedge a empresa evita surpresas desagradáveis, pois saberá o que tem a pagar e/ou receber de uma operação futura. Consegue ver a relação direta de Hedge e o orçamento empresarial da sua empresa?

Com uma estrutura bem organizada de Hedge gestores financeiros estão mais aptos a programarem suas atividades e manter a projeção de fluxo de caixa organizada.

Além disso, a empresa consegue minimizar ou até mesmo zerar a exposição:

  • às oscilações do mercado, e
  • a fatores que interfiram nos preços de seus produtos e nas suas dívidas.

Caso sua empresa pegue – ou esteja pensando em pegar – recursos do exterior, ou tenha em seu planejamento estratégico a venda para outros países, conhecer sobre operações de Hedge cambial é fundamental.

É preciso saber como fazer e como calcular Hedge Cambial.

Pense nele como uma cerca mesmo, ou seja, como uma proteção para salvar dívidas financeiras que podem ter seu valor duplicado quando expostas a verificações em dólar, para citar um exemplo.

Afinal, em vendas ou compras a prazo pode haver tanto uma valorização quanto uma desvalorização do Real frente à moeda do país de seu cliente/fornecedor. Por isso, a realização da operação de Hedge cambial deve estar sempre de acordo com o orçamento empresarial.

Aliás, ter um planejamento orçamentário adequado é o primeiro passo para pensar em Hedge. É a partir da análise de números e projeções da própria empresa que administradores podem iniciar uma avaliação de como fazer uso do Hedge para proteger a organização contra riscos corporativos.

Concluindo

A decisão de optar por operações realizadas a fim de Hedge está totalmente ligada ao gerenciamento de riscos corporativos que afetam o ativo e passivo da empresa.

E porque pensar em Hedge? Porque mesmo analisando cautelosamente as opções de investimento, ao final, ainda existem muitas variáveis envolvidas em um processo de planejamento de investimentos e nem sempre é possível prever todas com exatidão.

Hedging seria, então, um seguro contra essas suposições.

Apesar de Hedging ainda ser um mistério para investidores novos no ramo, não é tarefa impossível implementá-lo na prática.

Nossa sugestão é que caso você tenha interesse no assunto, comece conversando com uma consultoria de gestão e sinta-se mais seguro com suas aplicações e investimentos em Hedge.

Como vimos, o planejamento de Hedge traz uma visão mais sistematizada do comportamento de mercado e seus efeitos sobre a empresa. Com isso é muito mais fácil estabelecer ações de controle do risco corporativo.

Ficou claro para você o que é Hedge e como funciona?

O assunto Hedge dá muito pano pra manga, e nosso principal objetivo é fazê-lo entender que o Hedge está entre as ferramentas para diminuir os riscos nas operações financeiras.

E já que estamos falando de riscos econômicos, queremos fazer um convite: que tal evitar também os riscos no orçamento empresarial?

Nosso artigo 10 grandes erros cometidos no Orçamento Empresarial (Budgeting) tem dicas quentíssimas para você. Não deixe de conferir!


Também publicado em Medium.

Home Fóruns Como o Hedge protege seus ativos das oscilações de mercado? Conheça sobre o Hedging e avalie sua aplicação no seu negócio

Este tópico contém resposta, possui 1 voz e foi atualizado pela última vez por  Renata Freitas de Camargo 2 anos, 10 meses atrás.

Como o Hedge protege seus ativos das oscilações de mercado? Entenda o que é Hedge e avalie sua aplicação no seu negócio

Você deve fazer login para responder a este tópico.