Qual a origem da Controladoria no Brasil? Uma análise sobre a evolução da área

Publicado dia 5 de agosto de 2019

Por muito tempo o Brasil foi um país movido à produção agrícola, tanto que era conhecido por ser um grande agroexportador. Essa realidade perdurou até aos anos 30, quando as indústrias começam a tomar espaço no país. Surgiram, no início, principalmente empresas de produção simples, como tecidos e calçados.

Esse fato histórico é o estopim da origem da Controladoria no Brasil, mas também é responsável por desenrolar outros acontecimentos históricos como o êxodo rural.

Neste artigo iremos explorar os primórdios da Controladoria em terras brasileiras e como a área mudou com o passar dos anos.

Origem da Controladoria no Brasil

É 1960. O ano em que o Brasil passa por momentos instáveis na economia; os próximos desencadeariam uma mudança abrupta no regime político. Mas antes nosso então presidente Juscelino Kubitschek abriria as portas para indústrias internacionais se instaurarem no Brasil.

A partir desse ponto, multinacionais como Ford e Volkswagen se instalam no país. Logo no início essas empresas entendem que precisam de informações relevantes sobre sua produção e desenvolvimento econômico. Afinal, a chegada de uma empresa em outro país exige grandes esforços de planejamento e gestão.

Foi ao serem introduzidas nessa realidade que entenderam a necessidade de uma área de Controladoria nas empresas.

E um dos motivos da origem da Controladoria no Brasil é a alta competitiva que se instaurou no mercado. Com novas empresas no mercado, foi importante extrair informações e relatórios de desempenho. Além disso, um controle eficiente contábil era prioridade nesse período.

Todo esse conceito ainda prevalece atualmente, mas em uma perspectiva um tanto quanto diferente. Por ter sido introduzida pelas multinacionais, muitas empresas (principalmente as menores) acreditam que a Controladoria é uma área destinada apenas para grandes negócios.

O que não é verdade. O contexto do seu surgimento, e até mesmo o seu conceito, podem passar uma imagem errada do real objetivo da área. A Controladoria não existe para suprir necessidades em planejamento e decisões estratégicas para grandes empresas, mas sim para todas as empresas inseridas em um contexto competitivo.

E é por acreditar verdadeiramente nisso que nós da Treasy incentivamos pequenos negócios a adotarem a cultura e mentalidade da Controladoria. Seja criando uma área, investindo em um profissional dedicado ou até mesmo pela escolha da terceirização da Controladoria.

Lampada representando a origem da controladoria no país

Como o papel da Controladoria evoluiu ao longo do tempo

Nos anos de seu surgimento a área era muito focada em questões contábeis. Apresentava, portanto, dados como caixa, faturamento e despesas. Possuía, dessa forma, um papel de coleta de dados da contabilidade e criação de relatórios. Tudo isso para tornar a visão do desempenho financeiro mais clara e precisa com ajuda de relatórios e demonstrações contábeis.

O problema é que as informações contábeis não eram mais o suficiente, e muitas vezes não condiziam com a realidade. Dessa maneira, a exigência de dados mais certeiros e com uma visão financeira-econômica era uma exigência dos stakeholders (público que tem relação com a empresa). E é nesse momento em que a Controladoria começou a dividir-se entre contábil e administrativa.

Portanto, as informações contábeis fornecidas pela Controladoria deveriam ajudar gestores, mas também servir para apresentação aos stakeholders restantes, como investidores, líderes e acionistas.

E mesmo após todos esses anos com as mudanças significativas na área, não existe uma definição exata do que é Controladoria. Mas isso não é um problema. Por lidar tanto com questões contábeis quanto com a administração em si, a área se tornou algo completo e ajustável a cada negócio. É por isso às vezes encontramos definições não tão objetivas sobre a Controladoria.

Podemos, no entanto, dizer que a Controladoria atualmente possui um papel de coletar informações administrativas e contábeis para controle gerencial da empresa. É função da área, também, criar o planejamento orçamentário e servir insumos para decisões estratégicas da diretoria.

O desenvolvimento do profissional da Controladoria

O surgimento da profissão no Brasil, assim como a área, aconteceu na década de 60. A procura por esse profissional começou assim que as empresas internacionais se instauram no país. A partir desse ponto, anúncios pelos profissionais adequados foram colocados em jornais. Já na segunda metade dessa década houve um aumento da procura por esses profissionais.

A função consolidou-se apenas nos anos 80, após 20 anos de muito trabalho e desenvolvimento profissional, tanto da área quanto dos profissionais. 

Controller nos anos 60-80

Nos anos da origem da Controladoria no país era exigido do profissional habilidades voltadas estritamente à contabilidade e finanças. Era necessário, também, conhecer sobre os impostos brasileiros, economia e orçamento. Era também comum ser exigido conhecimentos em ERP, necessário para geração de demonstrações contábeis.

Controller atualmente

Assim como qualquer profissão, a mudança do perfil dos anos 60 para hoje em dia é boa parte por conta das evoluções tecnológicas. Todos os requisitos anteriores se mantém em certo grau, mas agora o Controller precisa de um vasto conhecimento em administração. Isso porque, como comentado, a profissão deixou de ser somente contábil e passou a lidar com administração, lidando diretamente com outras áreas da empresa na criação do planejamento orçamentário.

Nas últimas duas décadas a importância e necessidade da Controladoria apenas cresceu. Isso pela exigência do mercado em reflexo à economia dos últimos anos. Da mesma forma que a exigência por conhecimento em planejamento orçamentário e relatórios gerenciais se manteve. 

Em suma, o papel do Controller saiu de uma posição contábil e financeira para algo mais gerencial e voltado ao planejamento e auxílio nas tomadas de decisões. Atualmente se espera do profissional ao lado das outras áreas da empresa a:

  • Criação do planejamento orçamentário (budget e forecast);
  • Demonstrações contábeis mensais;
  • Construção e simulação de cenários econômicos;
  • Criação da modelagem financeira;
  • Planejamento dos investimentos e gastos conforme o desempenho financeiro.

É importante ressaltar que a Controladoria atual não é mais centrada em uma única pessoa. É claro que temos o profissional da área, o Controller, mas uma característica essencial da nova Controladoria é a descentralização de todo o processo. Antes, tanto o planejamento orçamentário quanto os relatórios por ela utilizados eram resguardados a área e a diretoria. Hoje, pelo contrário, todas as áreas devem participar da criação do orçamento e na utilização das demonstrações contábeis.

A medida em que se percebeu que todas as áreas, sem exceção, são responsáveis por ajudar a empresa a alcançar seu objetivo, a Controladoria tomou um papel de integradora de todas as áreas.

Terceirização da Controladoria

Outra forma de como a área evoluiu é em relação a pluralização da Controladoria.

Ao contrário dos anos da sua chegada, a Controladoria não é mais uma área destinada às grandes corporações. A atual alta competitividade entre empresas não abre espaço para gestões amadoras e não-estratégicas. Por isso, a Controladoria se tornou a área essencial para as empresas que buscam se destacar no mercado, atuando com base em informações de resultados e decisões estratégicas.

Em direção a esse caminho que funções da área como o planejamento orçamentário ganham mais espaço entre empresas dos mais variados segmentos e portes.

É neste momento em que entra a terceirização da Controladoria. Como nem toda empresa possui capital de giro o suficiente para construir uma área, ou contratar um Controller, a terceirização de boa parte das funções se tornou a melhor saída.

Assim, pequenos negócios podem deixar o trabalho de planejamento, modelagem financeira e análise de indicadores com especialistas terceirizados, por exemplo. Enquanto internamente mantém-se os controles rotineiros, como de caixa e contas a pagar e a receber.

Antes restrita, agora a Controladoria ganha espaço em qualquer empresa que precisar de maior visão analítica do desenvolvimento financeiro-econômico. Conciliado desde o início ao planejamento orçamentário, que garantirá previsibilidade financeira.

Concluindo

A origem da Controladoria no Brasil surgiu na bagagem de grandes corporações internacionais. Com o tempo se integrou nas empresas brasileiras, pôde desenvolver o profissional da área, o Controller, conforme as necessidades em relação ao nosso país.

Após vários anos, a Controladoria se tornou peça fundamental na administração e gestão das empresas. Tão importante que atualmente contamos com a terceirização de parte dessas funções para pequenas e médias empresas.

No mais, a área, assim como a profissão, foi e continua sendo responsável por estratégias importantes no planejamento orçamentário, demonstrações contábeis e ao apoio nas tomadas de decisões.

Foto da capa por N Stjerna, retirada do Flickr.

Deixe um comentário

Você precisa estar logado para postar um comentário. Clique aqui para fazer o login