Veja como o Factoring pode melhorar o seu fluxo de caixa por meio de operações de fomento mercantil e comercial

Publicado dia 20 de julho de 2017

Operações de FactoringImagine a seguinte situação: você é o controller da empresa e ao analisar o Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC) percebeu que o caixa ficará negativo devido a gastos não previstos no orçamento. Em poucos meses a empresa ficará com a capacidade comprometida de pagamento das suas obrigações junto a fornecedores e funcionários, ou seja com problemas de liquidez financeira. O que você, como Controller da organização, faria nessa situação?

Pois é, essa é uma preocupação de muitas empresas, principalmente aquelas que não fazem a projeção de Fluxo de Caixa, Demonstrativo de Resultado e Orçamento. O trabalho do Controller é justamente acompanhar o Resultado Financeiro e Econômico da empresa para prever quando ela está saindo dos trilhos e apresentar soluções para a diretoria.

Uma das saídas desse exemplo que comentamos é o adiantamento do capital de clientes que a empresa receberia à prazo, e isso é possível com o Factoring. Para entender melhor o que é Factoring e como funcionam suas operações, confira mais este artigo especial que preparamos.

O que é Factoring?

Para responder a essa pergunta, começamos falando sobre o que não é Factoring. Pois bem, Factoring não é uma atividade financeira, ou seja, não é banco e não pode captar recursos de terceiros, nem intermediar o empréstimo de recursos com os bancos. Além disso, conforme a ANFAC (Associação Nacional das Empresas de Fomento Comercial), também não é operação de crédito, empréstimo, desconto, adiantamento, agiotagem, criação de moeda e não gera expansão monetária.

Mas, afinal de contas, o que é Factoring? Para você entender melhor, vamos à uma rápida aula de história. Entre os séculos XIV e XV, na Europa, comerciantes queriam ampliar a área de atuação para novas colônias. Assim, nasceu a figura do factor, um agente mercantil que negociava e vendia mercadorias a terceiros em troca de comissão. Com o passar do tempo, os agentes começaram a antecipar o pagamento das mercadorias aos fornecedores, cobrando posteriormente dos compradores.

O que é Factoring

A primeira factoring constituída de maneira formal surgiu na Inglaterra, em 1808. Mais de um século depois, precisamente em 1982, o Brasil vivenciou o surgimento da Associação Nacional das Empresas de Fomento Comercial. Com isso, a atividade de factoring foi formalmente reconhecida em território brasileiro.

Portanto, Factoring (fomento mercantil ou comercial) é uma atividade comercial conjugada na compra de direitos de créditos com a prestação de serviços, e depende exclusivamente de recursos próprios. Em outras palavras, é uma transação na qual a organização vende suas faturas ou contas a receber a uma empresa financeira de terceiros (factoring). O factor, por sua vez, é quem cobrará o pagamento dessas faturas. Por isso, muitos dizem que Factoring é uma espécie de contas a receber.

O Factoring administra créditos gerados por vendas a prazo, ou seja, é compra e venda de direitos creditórios. Perceba que esse tipo de operação não deve, em hipótese alguma, ser entendida como empréstimo (lembra do que falamos no início sobre o que não é Factoring?).

Para encerrar este tópico, você deve estar se perguntando a quem se destina esse tipo de operação. O Factoring destina-se principalmente às pequenas e médias empresas (é exclusivo para Pessoas Jurídicas).

Objetivos da Factoring

Para você entender melhor o conceito, separamos alguns dos objetivos de uma Factoring:

  • Liberar a empresa de questões administrativas, permitindo, assim, que se concentre em sua atividade principal;
  • Fomentar, assessorar e ajudar o pequeno e médio empresário a resolver questões financeiras;
  • Ajudar a organização a gerenciar seu fluxo de caixa e permitir que aloque o fundo para financiamento do ciclo operacional;
  • Disponibilizar liquidez financeira rápida;
  • Cobrir o negócio contra o risco de insolvência de seus devedores;
  • Difundir e valorizar o fomento mercantil como atividade geradora de riqueza.

Sendo assim, se formos resumir em uma linha o objetivo de uma Factoring, diríamos que é: melhorar a liquidez financeira, solvência e rentabilidade da empresa.

Entendendo melhor: como funciona a Factoring?

Imagine outro exemplo, que sua empresa agora fez uma venda para um cliente que pagará a prazo. Em época de crise, o nível de inadimplência está alto e o fluxo de caixa não está colaborando. Para completar, sua empresa precisa comprar matéria-prima, mas não tem dinheiro em caixa.

Liquidez financeiraVocê precisa de dinheiro imediato e por isso recorreu à Factoring. A empresa de fomento e a sua negociaram títulos a receber e, como resultado, a receita foi antecipada.

Trocando em miúdos: o factoring compra à vista o faturamento de suas empresas clientes para depois receber a prazo. Pela prestação de serviço e o risco assumido (afinal, a Factoring não tem garantia de que seu cliente pagará sua empresa), é cobrada uma taxa chamada de fator de compra, a qual é representada pelo diferencial entre o valor de face e o valor de aquisição dos títulos negociados.

O fator de compra compõe-se dos itens:

  1. Custo de oportunidade dos recursos da contratada;
  2. Despesas operacionais e de cobrança;
  3. Carga tributária; e
  4. Expectativa de lucro e risco.

Qual a vantagem de antecipar pagamentos?

Evitar o endividamento da empresa (especialmente proveniente de clientes inadimplentes) é a principal importância de uma Factoring. Além disso, ela tem acesso às fontes legais de recursos que disponibilizam dinheiro imediatamente.

Mas a importância de uma Factoring não está apenas em melhorar a liquidez financeira do negócio. Ela também pode fornecer informações úteis sobre a posição de crédito de seus clientes e ajudar a estabelecer melhores condições de pagamento com seus fornecedores.

Ainda como importância (e vantagens) da Factoring, citamos:

  • As empresas de factoring fornecem assistência profissional ao realizar funções de contas a receber;
  • Como a factoring fornece o dinheiro antecipadamente, você poderá usar mais do seu tempo apoiando a empresa a aumentar o negócio e fazendo as melhorias necessárias (ao invés de ficar correndo atrás dos pagamentos dos clientes);
  • Obter acesso mais rápido ao dinheiro significa que sua empresa não precisará adiar compras essenciais ou atrasar o pagamento dos fornecedores;
  • A factoring oferece um cronograma de pagamento definitivo, o que torna mais fácil para manter a Gestão Orçamentária em dia e fazer planos para o negócio (organizando-se com antecedência);
  • O dinheiro recebido pode ser usado para estratégias de crescimento (contratar outro vendedor ou comprar um equipamento que acelere a produção, por exemplo)

Aproveitando o gancho, como anda a Gestão Orçamentária de sua empresa? Você já definiu a metodologia a ser utilizada? Em caso negativo, não precisa entrar em desespero. Nós damos uma mãozinha nisso em um e-book sobre 8 metodologias e práticas orçamentárias para sua empresa não errar na escolha. Para acessar o material, clique no banner:

Definindo a metodologia de Gestão Orçamentária ideal para sua empresa

E já que vimos a importância da Factoring e entendemos de uma vez por todas suas principais vantagens, vamos ao outro lado da moeda.

Desvantagens da Factoring

Com relação aos pontos negativos, destacamos:

  • O custo pago pelas operações de factoring significarão uma redução na margem de lucro em cada pedido ou atendimento ao serviço;
  • Alguns clientes podem preferir lidar diretamente com a empresa em que compraram o produto ou serviço, ao invés de tratar com a factoring;
  • Para que o acordo entre sua empresa e a factoring se encerre, você precisará pagar tudo o que deve, mesmo se o cliente ainda não tiver feito o pagamento;
  • Ao renunciar às responsabilidades de contas a receber para a Factoring, a fomentada dependerá inteiramente da empresa de fomento para coletar faturas e manter sua parte do contrato;
  • Factoring é sazonal: quanto maior o risco de crédito maior o custo de sua operação.

Tipos de Factoring para melhorar a Liquidez Financeira

Tipos de Factoring Fomento Mercantil e ComercialSão cinco as principais modalidades de Factoring. Veja qual é a que mais se adequa para sua empresa:

  • Convencional (conventional factoring): compra de direitos creditórios das empresas fomentadas, por meio de um contrato de fomento mercantil. Nesta modalidade, não há antecipação ou adiantamento de recursos. O pagamento é feito à vista pela sociedade de fomento mercantil.
  • Trustee: termo em inglês que significa confiança. Trata-se da gestão financeira das contas a pagar e receber da empresa. Além da cobrança e da compra de títulos, a Factoring presta assessoria administrativa e financeira às empresas fomentadas. No factoring trustee não há a compra de créditos e a antecipação de recursos financeiros.
  • Maturity: a factoring passa a administrar as contas a receber da empresa fomentada, eliminando preocupações com cobrança e riscos. Nesta modalidade, os títulos de crédito são remetidos pela empresa-cliente à sociedade de fomento mercantil, sendo por ela liquidados no vencimento (faturização no vencimento).
  • Exportação (ou factoring internacional): modalidade aplicada às relações comerciais internacionais. A exportação é intermediada por duas empresas de Factoring (uma de cada país envolvido), que garantem a operacionalidade e liquidação do negócio.
  • Factoring Matéria-Prima: a empresa de fomento mercantil atua como intermediário entre a fomentada e o fornecedor de matéria-prima (desse modo, agindo como compradora do fornecedor de seu cliente). A Factoring efetua pagamento à vista da matéria-prima, insumos ou estoques para sua empresa cliente. Empresas que possuem tecnologia e têm capacidade de produzir produtos competitivos, mas não possuem matéria-prima para fabricá-los, optam por esta modalidade.

Como ocorrem as operações de Factoring ou Faturização?

As operações de Factoring, também conhecidas por faturização, são relacionadas às atividades de prestação cumulativa e contínua de serviços de assessoria:

  • Creditícia;
  • Mercadológica;
  • Gestão de crédito;
  • Seleção de riscos;
  • Administração de contas a pagar e a receber;
  • Compras de direitos creditórios resultantes de vendas mercantis a prazo ou de prestação de serviços.

Para que as operações iniciem, estabelece-se um Contrato de Fomento Mercantil entre a empresa e a Factoring. No contrato são estipulados a venda dos direitos creditórios e os demais serviços a serem prestados. Para fins de faturização, transfere-se o risco do crédito da empresa vendedora para a Factoring. Desse modo, a operação é caracterizada como faturização e não como desconto de duplicatas.

Faturização

As etapas do processo de faturização são:

  1. A empresa vende seu bem, crédito ou serviço a prazo, gerando um crédito (ex.: Duplicata Mercantil), no valor correspondente.
  2. A empresa negocia esse crédito (representado pelo título respectivo) com a Factoring, transferindo os riscos inerentes, podendo, ainda, receber assistência creditícia e outros serviços.
  3. De posse desse crédito, a Factoring informa o sacado sobre o fato e a forma de cobrança (carteira ou banco).
  4. No final do prazo negociado inicialmente, a empresa sacada pagará o valor deste crédito à Factoring, encerrando a operação.

Quando o Fomento mercantil ou comercial é a opção certa?

Como controller, você, melhor do que ninguém, sabe como anda a liquidez financeira da organização. Como os Indicadores de Liquidez avaliam a capacidade de pagamento da empresa quando comparado às obrigações junto a fornecedores e funcionários, esse é o primeiro fator a ser avaliado.

Existem quatro tipos de indicadores de liquidez:

  • Liquidez Corrente;
  • Liquidez Seca;
  • Liquidez Imediata; e
  • Liquidez Geral.

Factoring InternacionalNeste artigo mostramos como calcular cada um, mas lembre-se que para escolher o indicador a ser utilizado você deve ter os demonstrativos da empresa (Demonstrativo de Resultados,  Balanço Patrimonial e Fluxo de Caixa) bem estruturados, com a correta classificação de cada conta.

Outro fator a ser avaliado é a Rentabilidade do negócio. No artigo Lucratividade e Rentabilidade – Você sabe a diferença e porque isto é importante? falamos mais sobre o assunto, mas para você não ficar com dúvidas, rentabilidade é análise dos resultados da empresa considerando os investimentos, ou custos, como para a compra de estoques, por exemplo.

Além da liquidez e rentabilidade, é preciso analisar o Ciclo Operacional e o Ciclo Financeiro, sendo que:

  • Ciclo Operacional é a soma de todos os acontecimentos referentes a uma operação empresarial. Inicia com a compra de matéria-prima, passa pela produção, avançando pela venda do produto e vai até o recebimento relacionado às vendas realizadas.
  • Ciclo Financeiro compreende o tempo de pagamento aos fornecedores até o recebimento do valor correspondente às vendas do produto final. O Ciclo Financeiro é o caminho do dinheiro.

Os ciclos abrangem a visão do controller com relação às entradas e saídas de recursos. Em outras palavras, conhecendo o Ciclo Operacional e o Ciclo Financeiro a empresa auxiliará tanto na análise da projeção do fluxo de caixa quanto da necessidade do capital de giro. Tudo isso levando em consideração o prazo médio de estocagem, algo muitas vezes esquecido por vários empresários.

Outro fator a ser analisado é com relação aos prazos médios de pagamento e recebimento:

  • Prazos Médios de Pagamento: é o tempo médio (em dias) entre a data da compra e o pagamento efetivo ao fornecedor. Por exemplo, se sua empresa compra matérias-primas e paga o fornecedor em duas vezes (1+1), seu prazo médio de pagamento vai ser de 50% a vista e 50% em 30 dias;
  • Prazos Médios de Recebimento: é o tempo médio (em dias) entre a venda e o efetivo recebimento do dinheiro. Por exemplo, se sua empresa vende parcelado em 3x sem entrada (0+1+1+1), seu prazo médio de recebimento vai ser de 0% à vista, 33% em 30 dias, 33% em 60 dias e 34% em 90 dias.

Depois de ter todas essas informações, será possível calcular a Necessidade de Capital de Giro (NCG), um dos Indicadores de Caixa mais importantes para qualquer negócio. A Necessidade Capital de Giro é o valor mínimo que a empresa precisa ter de dinheiro em seu caixa para garantir que sua operação (compra, produção e venda de produtos ou serviços) não pare por falta de recursos para pagar fornecedores e funcionários. Para saber mais sobre o assunto, salve a leitura deste artigo.

Cruzando as informações de liquidez, rentabilidade, capital de giro, prazo médio de recebimento e pagamento, ciclo operacional e ciclo financeiro, o controller terá os principais dados para a tomada de decisão. Isso, claro, sem esquecer de manter um olho no Planejamento Orçamentário.

Para ajudá-lo tanto na implantação quanto no acompanhamento do orçamento de sua empresa (e assim você terá mais controle sobre questões financeiras) fizemos um passo-a-passo para implantação do Planejamento Financeiro e Acompanhamento Orçamentário em sua empresa. Clique no banner e acesse:

Guia Prático do Orçamento Empresarial

O guia está dividido em 06 partes e nele você poderá saber mais sobre:

  • Introdução ao orçamento empresarial;
  • Elaboração do planejamento orçamentário;
  • Consolidação dos resultados (elaboração do DRE Projetado);
  • Análise de cinco indicadores indispensáveis à gestão facilmente obtidos no DRE;
  • Simulação de cenários alternativos e acompanhamento e controle orçamentário.

Conclusão

Factoring (fomento mercantil ou comercial) é uma atividade comercial conjugada na compra de direitos de créditos com a prestação de serviços, e depende exclusivamente de recursos próprios. É exclusivo para Pessoas Jurídicas e destina-se principalmente às pequenas e médias empresas.

Trocando em miúdos: a Factoring administra créditos gerados por vendas a prazo, ou seja, é compra e venda de direitos creditórios. Seu objetivo é melhorar a liquidez financeira, solvência e rentabilidade da empresa.

Evitar o endividamento da empresa (especialmente proveniente de clientes inadimplentes) é a principal importância de uma Factoring. Além disso, ela tem acesso às fontes legais de recursos que disponibilizam dinheiro imediatamente.

Cruzar as informações de liquidez, rentabilidade, capital de giro, prazo médio de recebimento e pagamento, ciclo operacional e ciclo financeiro ajudará o profissional de finanças da empresa (o controller, por exemplo) a fornecer os dados necessário para a tomada de decisão com relação à contratação de uma Factoring.

Para encerrar, queremos saber a sua opinião sobre este post. Esperamos que o artigo tenha sido útil para você. Deixe um comentário contando o que achou e não esqueça de compartilhar com seus colegas.


Também publicado em Medium.

Home Fóruns Veja como o Factoring pode melhorar o seu fluxo de caixa por meio de operações de fomento mercantil e comercial

Este tópico contém resposta, possui 1 voz e foi atualizado pela última vez por  Renata Freitas de Camargo 2 anos, 3 meses atrás.

Veja como o Factoring pode melhorar o seu fluxo de caixa por meio de operações de fomento mercantil e comercial

Você deve fazer login para responder a este tópico.