Entenda de uma vez as diferenças entre Resultado Financeiro e Resultado Econômico e como ambos são indispensáveis para a Gestão Empresarial

Entenda as diferenças entre Resultado Financeiro e Resultado EconômicoVocê já ouviu dizer que uma empresa X está com uma situação econômica boa, mas com uma situação financeira compldicada? Ou vice-versa? Isso acontece porque quando o assunto é Gestão Empresarial itens como Resultado Financeiro e Resultado Econômico podem parecer um pouco confusos.

É comum vermos inclusive administradores com experiência fazendo confusões com ambos os termos, achando que são sinônimos. Como sabemos que para você profissionalizar a gestão é uma busca constante, resolvemos acabar de vez com quaisquer dúvidas.

Tanto o Resultado Financeiro quanto o Resultado Econômico são indispensáveis para qualquer empresa que esteja buscando por Excelência na Gestão Empresarial. Cada um, à sua maneira, apresenta uma perspectiva diferente da gestão econômica-financeira. Vamos conhecer melhor sobre esse assunto?

O artigo que preparamos com certeza vai esclarecer muitas de suas dúvidas. Confira!

Diferenças entre Financeiro e Econômico

Começamos dizendo que a economia não faz parte das finanças, mas as finanças fazem parte da economia. Confuso? Calma que vamos explicar melhor.

Uma empresa XYZ realizou uma venda na qual o cliente deveria pagar R$ 12.000,00 durante quatro meses. A imagem abaixo ilustra o exemplo:

Resultado Financeiro Resultado Econômico tabela 1

No entanto, o cliente atrasou os dois primeiros pagamentos. No terceiro mês ele acertou as contas e pagou as três parcelas. No quarto o pagamento de R$ 12.000,00 foi realizado conforme o acordado. A imagem abaixo ilustra o exemplo:

Resultado Financeiro Resultado Econômico tabela 2

O Resultado Financeiro e o Resultado Econômico da empresa XYZ foi o seguinte:

Resultado Financeiro Resultado Econômico tabela 3

A primeira linha, “Competência”, refere-se ao registro do valor no mês em que a venda ocorreu. Veja que regime de competência não tem relação com quando e como o produto será pago. Isso representa um fato econômico.

Nas segunda e terceira linhas temos uma visão de regime de caixa (previsto e realizado). Sendo o previsto o acordo de pagamento firmado com o cliente (ou seja, pagamento de quatro parcelas no valor de R$ 12.000,00 nos meses 01, 02, 03 e 04) e o realizado que é quando efetivamente o cliente realizou o pagamento (ocorrido nos meses 03 e 04). Nesse caso estamos falando de atos financeiros.

Resultado Financeiro - Diferenças entre Financeiro e EconômicoEntão, resumindo: o contrato firmado e a compra efetuada originaram imediatamente um ato econômico, independentemente de ter ou não recebimento de dinheiro. No nosso exemplo, nos dois primeiros meses nenhuma movimentação no fluxo de caixa ocorreu com relação aos pagamentos do cliente, mas no terceiro mês a empresa teve seu recebimento. Foi a partir do terceiro mês, portanto, que ocorreu um ato financeiro.

Assim, entendemos que enquanto uma compra ou venda são fatores econômicos, o recebimento ou o pagamento são fatores financeiros. Exatamente por isso dizemos que o econômico origina o financeiro. Ficou mais claro?

Seguindo adiante, outra diferença entre econômico e financeiro está nas informações que cada um transmite:

  • O financeiro apresenta a informação do caixa e é controlado pelo Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC). O econômico traz informações sobre eficiência, por meio do lucro. A eficiência é apurada pelo Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE).
  • O financeiro considera as datas em que os recebimentos e pagamentos ocorreram. O econômico considera quando o fato de compra ou venda foram realizados, ou seja, importa-se com o regime de competência.

Caso ainda tenha ficado dúvidas sobre isso, temos um artigo que pode ajudá-lo a esclarecer mais sobre o assunto: Diferença entre o Regime de Caixa e o Regime de Competência.

Outra grande diferença entre os dois termos é o tempo. Ao analisarmos o escopo econômico veremos que tudo ocorre em um mesmo período. Em nosso primeiro exemplo, assim que a venda foi realizada a contabilidade já fez o registro dos recebimentos.

Se fizermos a mesma análise, mas pelo escopo financeiro, veremos que os fatos são provenientes de períodos diferentes. O nosso segundo exemplo ilustra isso melhor, pois os valores só foram registrados pelo financeiro quando a empresa efetivamente recebeu o valor da venda.

Por esse motivo é que podemos dizer que uma empresa tem uma ótima situação econômica, mas uma situação financeira negativa. Isso acontece com aqueles negócios cujos clientes que compraram a prazo são inadimplentes. Nesse caso, a empresa pode ter direitos a receber, mas não consegue ter saldo em caixa suficiente para cumprir com suas obrigações.

Agora que os termos foram melhores definidos, vamos partir para uma explicação mais aprofundada.

O que é Resultado Financeiro?

O que é Resultado FinanceiroO Resultado Financeiro está ligado ao Regime de Caixa. Nesse caso, o financeiro registra as entradas e saídas de caixa quando elas realmente aconteceram (contabilizando as Receitas, Custos, Despesas e Investimentos dentro do mês onde foram pagos ou recebidos). O demonstrativo utilizado para o Resultado Financeiro é o Demonstrativo de Fluxo de Caixa, ou DFC.

Por se tratar de um regime de caixa as operações serão registradas quando ocorrem movimentações monetárias. Por exemplo, a empresa XYZ adquiriu 3 computadores em junho, mas o pagamento foi acertado para julho. A transação será registrada em julho, pois para o Resultado Financeiro não importa a aquisição do bem, mas sim a movimentação do dinheiro.

Podemos ainda dizer que o Resultado Financeiro apresenta os resultados operacionais atuais e as mudanças no balancete, tais como aumentos ou diminuições em contas a receber ou contas a pagar. Depreciação e amortização não podem ser observados pelo regime de caixa.

Como o Resultado Financeiro é analisado e avaliado pelo Demonstrativo de Fluxo de Caixa, vamos aproveitar e deixar claro sua definição. O DFC é uma peça contábil fundamental para análise da empresa. Ele evidencia a posição financeira da organização em um determinado período de tempo.

Para mais informações sobre o DFC, sugerimos a leitura do artigo Demonstrativo de Fluxo de Caixa: o que é, como usar e dicas para sua empresa. E caso você precise de algo mais mão na massa, preparamos o Modelo de Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC), uma planilha gratuita com modelo de DFC para acompanhamento do desempenho financeiro de sua empresa. Clique no banner e para download:

banner planilha modelo DFC

A planilha irá ajudá-lo a acompanhar o desempenho financeiro de sua empresa, entender onde cada recurso está sendo empregado e monitorar sua reserva financeira.

Por que o Resultado Financeiro é importante?

Como o nome sugere, o fluxo de caixa apresenta o dinheiro que a empresa realmente possui em caixa. Essa informação é de extrema importância especialmente para gerenciar a liquidez do negócio (a capacidade que a organização tem de honrar com seus compromissos). Além disso, tendo essa informação em mãos a Diretoria Financeira consegue avaliar se a empresa tem capital de giro suficiente para pagar todas as suas contas.

Uma demonstração do fluxo de caixa é usada para determinar a viabilidade e liquidez a curto prazo de uma empresa, especificamente se ela é bem posicionada para pagar suas contas e fornecedores. Justamente por fornecer informações de curto prazo o Resultado Financeiro pode ajudar a Diretoria Financeira a responder a perguntas como:

  • A empresa consegue pagar suas contas?
  • Há dinheiro suficiente para reparos não planejados?
  • A empresa tem dinheiro em caixa para financiar a folha de pagamento?

Além disto, ter um DFC bem elaborado é a base para uma Projeção de Fluxo de Caixa bem embasada. Mas isto já é tema para outro post (no caso, este).

O que é Resultado Econômico?

Resultado Economico Resultado FinanceiroO Resultado Econômico surge do regime de competência, ou seja, o registro do evento se dá na data em que aconteceu. A contabilidade define o Regime de Competência como sendo o registro do documento na data do fato gerador (na data do documento, não importando quando vai ser pago ou recebido).

Em outras palavras, quando a contabilidade toma conhecimento de um recebimento deve imediatamente fazer o seu lançamento, não importando o recebimento em si. O demonstrativo contábil que apresenta o Resultado Econômico de uma empresa é o Demonstrativo de Resultado de Exercício, ou DRE.

Isso significa que o Resultado Econômico foca na hora em que as transações ocorreram. Vamos utilizar o exemplo da empresa XYZ que adquiriu 3 novos computadores no mês de junho. Por se tratar de um regime de competência, para fins de Resultado Econômico não interessa se os equipamentos serão pagos no próprio mês ou no seguinte. A operação será registrada pela contabilidade em junho, pois é a aquisição dos bens que importa.

Quando falamos de lucro ou prejuízo também estamos nos referindo ao Resultado Econômico. O lucro aumenta o Patrimônio Líquido, mas não a disponibilidade de dinheiro. Ou seja, a organização pode estar em uma boa situação econômica com relação aos equipamentos, imóveis e investimentos, mas não ter dinheiro para pagar as dívidas. Observe que para o Resultado Econômico itens como depreciação são levados em consideração.

O Resultado Econômico, possui indicadores relevantes, entre eles a participação do capital próprio e ou Retorno sobre o Investimento (ou rentabilidade).

Como o Resultado Econômico é analisado e avaliado pelo Demonstrativo de Resultado de Exercício, vamos aproveitar e deixar claro sua definição. O DRE é um relatório que oferece uma síntese econômica completa das atividades operacionais e não operacionais de uma empresa em um determinado período de tempo, demonstrando claramente se há lucro ou prejuízo.

O DRE é ferramenta importante para tomada de decisão e para saber mais sobre ele recomendamos a leitura do artigo Análise de DRE (Demonstrativo de Resultados do Exercício): tudo que você precisa saber sobre a Demonstração de Resultados do Exercício em um só lugar. E, claro, se você já quer partir para a ação, temos uma planilha de Modelo de Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE). Para acessar a planilha gratuita com o DRE para acompanhamento do desempenho econômico de sua empresa, clique no banner e faça o download:

Banner planilha modelo DRE

Com a planilha, além de acompanhar os resultados de sua empresa você entenderá onde cada recurso está sendo empregado e conseguirá monitorar o ponto de equilíbrio.

Por que o Resultado Econômico é importante?

Analisando o demonstrativo contábil que apresenta o Resultado Econômico, ou seja, o DRE, é possível verificar se os produtos e serviços da organização são viáveis e se geram lucro suficiente para pagar custos e despesas (sem ter que levar em consideração quando as receitas entrarão efetivamente em caixa e quando os gastos serão pagos).

Trocando em miúdos, com o Resultado Econômico é possível visualizar a estrutura financeira da empresa e verificar se o modelo de negócio é ideal. Isso acontece porque ele contabiliza fatores que vão além do fluxo de caixa, como depreciação, e permite que o departamento financeiro observe tendências de gastos e ganhos em longo prazo.

Uma vez que sua empresa já tenha um DRE bem elaborado, pode dar o próximo passo e começar a trabalhar em sua Projeção de DRE, antecipando problemas e principalmente oportunidades. Neste post você pode conferir mais sobre o tema.

Diferenças entre Resultado Financeiro e Resultado Econômico

Já vimos cada conceito separadamente. Agora, vamos elencar as principais diferenças entre Resultado Financeiro e Resultado Econômico.

  • O Resultado Financeiro está relacionado com a liquidez. Ele diz respeito à adequada administração do Fluxo de Caixa, Capital de giro, pagamentos financeiros e o tempo de recebimento dos valores de vendas a prazo são questões relacionadas ao Resultado Financeiro.
  • O Resultado Econômico está relacionado com a maximização de receitas e redução de gastos, ou seja, tem a ver com o quanto se recebe e o quanto se gasta (créditos x débitos, entradas x saídas). Em outras palavras, tem tudo a ver com o processo produtivo e operacional, ou com gastos e receitas dos produtos/serviços produzidos e vendidos. Ele também contextualiza a empresa no mercado, mostrando suas relações e posicionamento perante a concorrência.Resultado Financeiro x Resultado Econômico
  • Com o Resultado Financeiro é possível saber que resultado teve cada uma das movimentações financeiras da empresa (investimentos, recebimentos, gastos). Além disso, é possível avaliar também onde foram aplicados os recursos financeiros, o que possibilita uma gestão muito melhor das entradas e saídas.  
  • Com o Resultado Econômico a empresa consegue avaliar sua capacidade de geração de riqueza (lucro) e quando necessário, realizar modificações na administração para melhorar os resultados. Por retratar a real situação da empresa, o Resultado Econômico fornece aos administradores e gestores elementos fundamentais para tomada de decisão.
  • Resultado Financeiro é a disponibilidade momentânea do dinheiro.
  • Resultado Econômico é o lucro ou prejuízo em termos de ativos.

Conseguiu entender as diferenças? Então você também deve ter concluído que ao falar em Resultado Financeiro e Resultado Econômico estamos tratando de dois escopos importantes para qualquer empresa.

Não se trata de escolher um ou outro, pois as informações devem ser sempre analisadas pelas duas perspectivas. Resumindo: ambas as visões são necessárias na gestão econômica-financeira de qualquer negócio.

Já que entendemos a importância dos resultados financeiro e econômico, vamos deixar aqui uma última dica, que vem a seguir.

Dicas de como melhorar o Resultado Financeiro e o Resultado Econômico da sua empresa

Ninguém quer ter o fluxo de caixa apontando para o vermelho. Por isso, separamos algumas sugestões para que Resultado Financeiro e Resultado Econômico caminhem juntos.

  1. Não esqueça de considerar o tempo. Quando os clientes realizarão o pagamento? Quanto tempo geralmente leva para um cliente pagar pelos produtos ou serviços? Quando sua empresa paga suas contas? Lembre-se de que cada real que você não possui pode prejudicar suas operações. Por isso, antecipe-se e saiba quando os pagamentos serão efetuados e as vendas, recebidas. Com essa informação será possível planejar-se adequadamente. Além disso, fique atento ao Prazos Médios de Pagamento e Recebimento!
  2. Tenha dinheiro separado para emergências. Infelizmente, situações inesperadas acontecem e a Gestão de Riscos está aí para comprovar isso. Prepare-se para emergências mantendo em caixa um dinheiro suficiente para cobrir as despesas por pelo menos um mês. Se necessário, crie contas de Provisões para cada fim específico (algumas empresas, inclusive, podem possuir obrigatoriedades de provisionamentos).Diferenças entre financeiro e econômico
  3. Faça um bom planejamento de orçamento de Recursos Humanos. A rubrica Gastos com Pessoal é uma das mais importantes na análise do demonstrativo de despesas e custos de uma empresa. Isso é observado principalmente em empresas de serviços, as quais costumam ter a maior parcela dos seus gastos relacionados à força de trabalho.
    Um erro ou “descaso” na elaboração do orçamento e gestão das despesas de RH pode causar sérios problemas ao caixa da empresa. Por isso, é fundamental prever no orçamento reajustes e renegociações, como por exemplo o dissídio coletivo, reajustes previstos em contratos para planos de saúde, aumentos no valor de vale transporte e vale alimentação e até mesmo os aumentos de salários reivindicados pelos funcionários periodicamente.
    Igualmente importante é a empresa se preparar para os dois grandes desembolsos anuais, relacionados ao pagamento de férias e do 13º salário. Não podemos esquecer de prever ainda um valor para as rescisões contratuais (multas pagas sobre demissões).
  4. Tenha linha de crédito. Além da reserva em caixa para emergências, estabeleça uma linha de crédito antes mesmo de precisar. Isso ajudará sua empresa a manter-se um passo adiante dos problemas, já que bancos podem demorar um pouco a realizarem empréstimos mediante pedidos imediatos.
  5. Não esqueça do orçamento empresarial. Planejar e estimar os ganhos, despesas e investimentos que a empresa terá em um período futuro é o primeiro passo para manter os lados econômico e financeiro equilibrados. No entanto, é preciso manter-se dentro do planejado, para que o futuro não reserve surpresas negativas.

Falando especificamente do último item, para a empresa manter-se no planejamento orçamentário é preciso responder algumas perguntas, como:

As respostas a esses questionamentos ajudarão na formação do orçamento empresarial. Para ajudá-lo, vamos deixar aqui mais uma dica. Em nosso e-book Guia prático do Orçamento Empresarial mostramos como você pode implantar o Planejamento Financeiro e Acompanhamento Orçamentário em sua empresa. Clique no banner e acesse:E-books-Guia-prático-do-Orçamento-Empresarial-Banner

O guia está dividido em 06 partes e nele você poderá saber mais sobre:

  • introdução ao orçamento empresarial;
  • elaboração do planejamento orçamentário;
  • consolidação dos resultados (elaboração do DRE Projetado);
  • análise de cinco indicadores indispensáveis à gestão facilmente obtidos no DRE;
  • simulação de cenários alternativos e acompanhamento e controle orçamentário.

Concluindo

Vimos que o Resultado Financeiro está ligado ao regime de caixa e utiliza o Demonstrativo de Fluxo de Caixa, ou DFC. Ele representa a disponibilidade momentânea do dinheiro.

Já o Resultado Econômico surge do regime de competência e utiliza o Demonstrativo de Resultado de Exercício, ou DRE. É o lucro ou prejuízo em termos de ativos.

Ambos são pontos que devem ser monitorados constantemente com muita atenção, pois é essencial que a empresa tenha um curto ciclo financeiro (o tempo de pagamento aos fornecedores até o recebimento do valor correspondente às vendas do produto final) e um bom capital circulante líquido.

Escolher entre um ou outro está fora de cogitação, afinal, ambos oferecem uma perspectiva diferente quanto à gestão econômica-financeira. Por isso, as informações devem ser analisadas tanto pelo Resultado Financeiro quanto pelo Resultado Econômico.

Mas agora conte para nós: o que você achou deste artigo? Ele foi útil para você? Esperamos que sim e, em caso afirmativo, fique à vontade para compartilhar entre seus colegas! Aproveitando que você está aqui, confira outros posts em nosso blog. Até a próxima!

Artigos Relacionados


Also published on Medium.

Cadastre-se no Treasy

Deixe seu comentário